Terça ventania 

Hoje ventou bastante pela manhã então já imaginei como seria na estação de metrô na volta. Blazer de veludo e um sueter foram o suficiente para enfrentar o frio. Lembrei de uma frase da Clarisce Lispector – “Sou como você me vê. Posso ser leve como a brisa ou forte como uma ventania. Depende de quando e como você me vê passar”.
Fotos Jocasta.

Depois das olimpíadas 

Terminaram às olimpíadas 2016 (logo começarão as paraolimpíadas) e o Brasil foi elogiado pelos particantes dos jogos. Apesar de todo prognósticos e pessimismo o evento foi um sucesso e fiquei pensando em como há no brasileiro um espírito de adaptação e força de vontade que parece intrínseco a nosso povo. 

Segunda nublada e fria mas nada que abale o brilho de um sorriso. 

Hoje de black e cinza. 

Tinder das roupas 

Sabe aquele aplicativo para conhecer pessoas? Faça o mesmo com roupas no seu closet/armário que nunca se encontraram num rolê.  A forma é simples: pegue uma peça e veja no seu registro quais foram as vezes que a usou com outra peça. Ou então, faça uma pesquisa por looks alheios e veja combinações nunca testadas por você. É divertido! Você acaba descobrindo que há roupas que combinam com varias outras e há aquelas que fazem par com poucas peças. Ontem vi essa foto e lembrei que nunca tinha usado minha camisa azul com o blazer bege. Então me inspirei no look.

Será que combinaram? Acho que sim. Mas esse “amor” tem hora pra terminar pois a fila anda e há roupas  que precisam circular com outras peças, risos.

Fotos: Jojô e Wil

img_0795