Cuide das suas roupas 

Eu já escrevi aqui muitas vezes que manter o guarda-roupa, principalmente as peças curingas, é bom para você e seu bolso. Roupas boas e duráveis são praticamente a antítese do mundo da moda hoje calcada no transitório. 

Hoje a sexta começou fria e adotei o estilo navy. Claro sem abrir mão do conforto das peças em algodão. 



Achei esse suéter em algodão há pouco tempo mas já quero que ele dure muito. Foi comprado num brechó e o dono anterior certamente não o usou muito, ou então foi bem cuidadoso mesmo. Para todas as peças de crochê ou tricô é preciso cuidado dobrado. Muita gente corta a etiqueta com instruções sobre como lavar e secar a roupa e esse é o primeiro dos erros. Lá estão informações valiosas para manter a peça apresentável por muito tempo. 


Se você perdeu ou também cortou essas etiquetas da sua roupa de lã ou linha aqui vão algumas dicas que tirei do blog circulo 

NA HORA DE LAVAR: Lave as peças manualmente (a lavagem na máquina com força mecânica pode deformar o modelo da peça) com água fria ou morna (até 40ºC), alguns acrílicos podem encolher e perder o brilho em contato com água quente.

A lavagem com sabão neutro é a melhor opção pois, o sabão em pó é agressivo demais para as fibras delicadas do tricô.

NA HORA DE SECAR:

É preciso ter um certo cuidado; não use prendedores, pois eles podem marcar, o correto é estendê-la em uma superfície horizontal.

Seque suas peças à sombra e/ou vento, pois a secadora e o sol danificam as fibras.

Para não deformar a roupa, o melhor é espremê-la com cuidado em vez de torcê-la após a lavagem.

COMO PASSAR:

Essas peças normalmente não precisam ser passadas, mas caso precisar, nunca pressione demais o ferro na peça nem use-o muito quente, pois a peça poderá esticar.

COMO GUARDAR: Guarde as peças sempre dobradas e não penduradas em cabides, assim não correrá risco da peça esticar e perder a forma.

Quando o frio passar, esqueça os cabides e os sacos plásticos, que criam fungos, prefira guardar as peças em capas de TNT.

Guardar a peça de tricô ou crochê dobrada é uma orientação que também vale para quem trabalha em lojas. Nunca pendure uma peça assim, pois o risco de a peça esticar existe. Claro que há exceções mas, caso não queira correr o risco, é melhor dobrar sempre!

Anúncios

O retorno do inverno a BH 

A sequencia de dias frios fez as pessoas relembrarem que a capital mineira tinha o inverno como uma estação bem definida e com vários dias gélidos há algumas décadas. De fato, morando há mais de 14 anos na cidade percebo o quanto ela esquentou com o passar dos anos. As causas são variadas mas certamente as interferências urbanísticas na cidade também contribuem para que ela se torne uma ilha de calor.

Eu estou gostando pois inclusive tenho testado roupas que funcionam, e outras não, para estações e dias mais frios. Gorro me agrada pois além de tudo aquece minhas orelhas que logo reclamam do sopro gelado. Outro item que adotei neste inverno e muito útil é a gola cachecol. Inclusive para pedalar pois como não se desfaz deixa o pescoço protegido. Doei parte das minhas roupas de frio antigas. Gosto de coisas novas no inverno, para  poder renovar, porém há peças que são atemporais como esse suéter que comprei recentemente mas quero preservá-lo por muito tempo.

A estátua esculpida para representar o inverno e exposta na Praça Rui Barbosa, no Centro de Belo Horizonte, é uma das obras construidas em mármore e que representa as quatro estações. A peça que integrara o projeto de remodelação da Praça Rui Barbosa, na década de 1920, é a única dentre as estátuas, daquela época da Praça, que possui o aspecto masculino. Um senhor envolto em mantos e descalço quase encolhido de frio representando a estação mais fria da cidade. A literatura belorizontina também atesta que o frio era uma constante nessa época. (Essa e outras imagens visitaremos num passeio em homenagem aos 120 anos de Belo Horizonte que faremos dia 05 de Agosto). Se teremos invernos como há tempos não sei. Pode ser que sim. De qualquer forma é sempre bom ter algo no guarda-roupa para manter-se aquecido.