Dia de Massa, dia de bermuda.

Hoje é dia de Massa Crítica. Centenas de pessoas  saem às ruas de várias cidades pelo mundo reivindicando o espaço urbano que atualmente é tomados por carros. Eu só pensei na praticidade de sair do trabalho e me juntar a Massa.

copia2

Foto: Daiana Souza

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Foto Daiana Souza

Sexta é dia de leveza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Sempre-vivas. Foto Gil Sotero

Camisa por dentro de bermudas é fácil aderir. Veja algumas inspirações para compor o seu look. 

31b2e915b080995e840532478adac810 47dd22006c0367a76360e6642440831c 90fce0e0c85aa90e24363e4a5b9a7451 bc766b07066c3d9ca6b03fa36481b37d

Anúncios

Forma de Expressão

Mesmo em tempos de fast fashion vestir-se ainda é uma forma de expressão para muitas pessoas. A historiadora Anne Hollander dizia que “a moda vai muito além da roupa” e que a “arte de se vestir é a que todos nós praticamos”. Em seus livros e ensaios, defendia que roupas revelam muito mais do que ocultam – sobre arte, percepções do corpo e de nós mesmos. Foi com esse pensamento que sai de casa hoje.

Fotos: Daiana Souza. Editora Wanessa Paixão.

2015/01/img_8305.jpg

2015/01/img_8328.jpg

2015/01/img_8326.jpg

Pingos e enxurradas de… preguiça

Conheço muita gente que mora a menos de 4 km do trabalho e que poderiam facilmente usar a bicicleta, ônibus, ou até combinar caminhada e transporte. As mesmas alegam que BH não é uma cidade para pedalar. Muitas dessas pessoas são sedentárias, inclusive enfrentando um jornada extensa e imobilizadas já que ficam horas sentadas em suas respectivas atividades. Algumas já a base de remédios. Essa postura “preguiçosa”  está tornando as pessoas mais desanimadas e inclusive deprimidas.

Então para alguém assim, que ao subir dois lances de escada pensa que vai morrer, parece que qualquer esforço é um grande desconforto. Quando se darão conta que os alertas médicos são reais? A mobilidade faz parte da vida! Há vários tipos de bicicletas, formas de realizar os trajetos, de combinações de modos ou (como chamam os especialistas) modais de transporte que podem realmente fazer mais do que melhorar a qualidade de vidas das pessoas; ajuda também a tornar a cidade um lugar mais agradável.

Foi pensando nisso que hoje estou com minha bicicleta elétrica.  Bicicleta é liberdade, inclusive desses modelos mentais que nos aprisiona.

2015/01/img_8200.jpg

Blazer azul marinho (o grande curinga do guarda-roupa masculino). Jeans pois, com a chuva esses dias a temperatura melhorou um pouco e botas. Na bolsa capa de chuva e meias extras caso esteja em um deslocamento e aquele temporal comece.

2015/01/img_8203-0.jpg

2015/01/img_8183.jpg

2015/01/img_8201.jpg

Rua da Bahia

Hoje está tão quente que qualquer pessoa frita um ovo na cabeça! Assim preferi roupas bem leves e sandálias estilo franciscano. À tarde dei uma volta pela rua mais famosa de BH. Quem já veio a Belo Horizonte conhece a rima: “minha vida é esta: subir Bahia, descer Floresta”. Quando o verso foi composto por Rômulo Pães na década de 30, o bonde, subia a Rua da Bahia no sentido Santo Antônio e a descia, indo em direção à Floresta. A pé ainda podemos fazer o mesmo percurso. Amo a Rua da Bahia. Hoje encontrei a linda fotografa Anna Castelo Branco. Um Happy Hour gostoso no meio da Bahia (rua).

2015/01/img_5268.jpg
Foto: Anna Castelo Branco

Sandálias

O que Jesus, Maomé e Faraó tinham em comum? Sandálias. Houve um tempo que os homens faziam grandes jornadas de sandálias. Alguém decidiu fechar os pés em sapatos e cá estamos. 40 graus na rua e 60 nos pés.

Resolvi experimentar trabalhar de sandálias. Como é confortável! A técnica foi a mesma de sempre: distrair os “censores” com outros itens como chapéus Panamá (super útil nesse dia quente) e camisa colorida da Santo Hype (adoro as bicicletinhas deles). Tenho que agradecer os chinelos ao amigo Ronam que me deu de presente há alguns anos em João Pessoa.
Me disseram que eu estava parecendo um turista. Fiquei refletindo sobre isso: roupas de turista. Geralmente são esportivas. Os homens adoram bermudas cargos como se estivessem num Safari! Kkkkk nada a ver com meu estilo. Mas em uma coisa concordo: é preciso ser confortável. Por que preciso esperar férias para andar confortável? As sandálias representam liberdade também. Fica a dica.
P1017226.JPG
Sandálias de João Pessoa e tornozeleira de Cartagena, casaram perfeitas.

P1017228.JPG
A cara de felicidade

IMG_5240.JPG

As sandálias apareceram na Mesopotâmia e no Egito, 5 mil anos antes de Cristo. Eram feitas de fibras vegetais e couro e nem todo mundo podia usá-las: eram exclusividade dos soberanos sumérios, assírios, babilônicos, cretenses e egípcios. Faraó dava muita importância às sandálias. Tinha uma pessoa só para levá-las de um lugar ao outro.

2015/01/img_4922-0.gif

As sandálias podem fazer parte de diversos tipos de looks, desde o sofisticado quando o despojado. Pegue suas sandálias e vá.

IMG_5249.JPG